“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

20/01/2015

Letra de música de um amigo

Música: Seu nome
Composição: Demerval Colaço

Te vi, te amei, não sei
De repente o tempo te levou
Saudade tomou conta do lugar
Chorei, vivi, andei,
Muitos rostos minha mão tocou
Mas nenhum com aquele teu olhar

Bebi na fonte do tempo,
O amor, o sabor
De um futuro que nem sei se quero
O tempo tentou me mostrar
Que razão e emoção
Não caminham sobre o mesmo leito

Assim sobrevivi
Como as rosas desse meu jardim
Esperando o dia que chegou
Choveu e o sol surgiu
Brilhou forte nesse meu refrão
Entoando um canto de amor

E a vida me surpreendeu
Como o mar, como o céu
No azul de sua imensidão
Seu nome eu vi desenhar
Como numa folha de papel,
Como na areia que cobriu o chão.

Nenhum comentário: