“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

18/10/2015

Bordar

Bordar é como tecer sonhos nas tramas do tecido da vida. Capricho, amor, uma linha fina e colorida tece a delicadeza de cada ponto, a cada dia, e nos ensina a paciência de desatar um nó, e nos leva a viagens para dentro de nós, pelos desenhos que a vida nos dá. Ada, 16/10/15. #coisasdeada

Nenhum comentário: