“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

14/10/2015

Desce da Lua!


"Desce da Lua!"
Minha mãe dizia,
e correndo descia...
mas ficava pensando nela
de noite e de dia

"No mundo da lua?"
Minha mãe perguntava,
e correndo pelas escadas
com os pés e a cabeça
na lua penduradas
em dois mundos me dividia:
de um, para a mãe respondia,
do outro tranquila me calava...
É que o primeiro me assustava,
e no segundo me escondia.

(Ada, 14/10/15)

Nenhum comentário: