“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

14/10/2015

Gabriel o Pensador: Astronauta




Astronauta
Gabriel O Pensador


Astronauta!
Tá sentindo falta da Terra?
Que falta
Que essa Terra te faz?


A gente aqui embaixo
Continua em guerra
Olhando aí prá lua
Implorando por paz


Então me diz:
Porque quê você quer voltar?
Você não tá feliz
Onde você está?


Observando
Tudo a distância
Vendo como a Terra
É pequenininha


Como é grande
A nossa ignorância
E como a nossa vida
É mesquinha


A gente aqui no bagaço
Morrendo de cansaço
De tanto lutar
Por algum espaço


E você
Com todo esse espaço na mão
Querendo voltar aqui pro chão?
Ah não, meu irmão!
Qual é a tua?
Que bicho te mordeu
Aí na lua?

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu...

Ah não, meu irmão!
Qual é a tua?
Que bicho te mordeu
Aí na lua?


Fica por aí
Que é o melhor que cê faz
A vida por aqui
Tá difícil demais


Aqui no mundo
O negócio tá feio
Tá todo mundo feito
Cego em tiroteio


Olhando pro alto
Procurando a salvação
Ou pelo menos uma orientação
Você já tá perto de Deus


Astronauta!
Então me promete
Que pergunta prá ele
As respostas
De todas as perguntas
E me manda pela internet...

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu...

É tanto progresso
Que eu pareço criança
Essa vida de internauta
Me cansa


Astronauta cê volta
E deixa dar uma volta na nave
Passa achave
Que eu tô de mudança


Seja bem-vindo, faça o favor
E toma conta do meu computador
Porque eu tô de mala pronta
Tô de partida


E a passagem é só de ida
Tô preparado prá decolagem
Vou seguir viagem
Vou me desconectar


Porque eu já tô de saco cheio
E não quero receber
Nenhum e-mail
Com notícia dessa merda
De lugar...

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu...

Eu vou prá longe
Onde não exista gravidade
Prá me livrar do peso
Da responsabilidade
De viver nesse planeta
Doente
E ter que achar
A cura da cabeça


E do coração da gente
Chega de loucura
Chega de tortura
Talvez aí no espaço

Eu ache alguma criatura
Inteligente


Aqui tem muita gente
Mas eu só encontro solidão
Ódio, mentira, ambição
Estrela por aí
É o que não falta
Astronauta!
A Terra é um planeta
Em extinção...

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu!


Composição: Gabriel o Pensador / Lulu Santos

Nenhum comentário: