“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

10/03/2010

fragmentos do blog do André

"Eu cuido de minha solidão assim, construindo diariamente pontes da minha ilha para o continente, registrando a conversa entre meu coração e o meu pensamento, revelando o meu desejo de ser o que ainda não fui. Não sei se almas têm tamanho, mas ando sentindo a minha crescendo."  (do Blog do André)

Um comentário:

Andre Luis Aquino disse...

A alma não sendo pequena tudo passará a valer a pena, mas esse valer a pena de Pessoa talvez seja apenas para as coisas mesmo da alma.Admiro o seu respeito e amor pelas coisas da alma, bom te encontrar de vez em quando nessas esquinas da vida.Um beijo grande.