“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

16/09/14

Alejandra Pizarnik: O desejo da palavra

O desejo da palavra

Oxalá eu pudesse viver 
somente em êxtase, 
fazendo o corpo do poema com meu corpo, 
resgatando cada frase com meus dias
e com minhas semanas,
infundindo meu sopro no poema,
à medida que cada letra
de cada palavra
fosse sacrificada nas cerimônias do viver.

Alejandra Pizarnik
 

"El Deseo de la Palavra", está em seu último livro, El Infierno Musical, de 1971


***

"Por que não extraio minhas veias
e faço com elas uma escada
para fugir ao outro lado da noite?"

Devido a suas contínuas depressões e tentativas de suicídio (em 1970 e 1972), ficou meio reclusa nesse período. Em 1972, permaneceu cinco meses internada numa clínica psiquiátrica. Em 25 setembro, ela saiu da clínica para passar o fim de semana em casa e tomou uma superdose do sedativo seconal sódico. Tinha 36 anos.

11/09/14

Lua à vista


No preto da noite
Fixo na lua meu olhar
Da esfera luz
Decoro a geografia
Crateras a macular

No escuro do quarto
Guardada prá dormir
A lua não some
Pisca centelhas 
na esfera ocular

(Ada, 10/9/14)

28/08/14

Um gosto de sol


“Um gosto de sol” dá enjoo, dá a lembrança do enjoo.
De ter na barriga a filha amada crescendo
um cheiro de sabonete Gessy
salivando a pasta-de-dente
“Lembram o riso que eu tinha
E esqueci entre os dentes”
um gosto de sol ao amanhecer...

“Um gosto de sol” dá saudade, dá a lembrança da saudade.
De ter no peito um sonho ensolarado crescendo
“lembram os sonhos que eu tinha
e esqueci sobre a mesa,
como uma pera se esquece
dormindo numa fruteira...”

Lá naquele tempo tão jovem que passou
Onde começaram todos os sonhos
De construir um mundo melhor
que nunca envelheceram, nem nunca acabou...


(Ada, 28/8/14)

Inspirada na audição Um gosto de sol, de Milton Nascimento, que em 1977 ouvia compulsivamente...


Um gosto de Sol by Milton Nascimento on Grooveshark