“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

18/12/14

Bertold Brecht: Louvor do esquecimento

Maki Hino - Munecas de papel -  https://cuadernoderetazos.wordpress.com/tag/maki-hino/

Louvor do Esquecimento
(Bertold Brecht)

Bom é o esquecimento. 
Senão como é que 
O filho deixaria a mãe que o amamentou? 
Que lhe deu a força dos membros e 
O retém para os experimentar. 

Ou como havia o discípulo de abandonar o mestre
Que lhe deu o saber?
Quando o saber está dado
O discípulo tem de se pôr a caminho.

Na velha casa
Entram os novos moradores.
Se os que a construíram ainda lá estivessem
A casa seria pequena demais.

O fogão aquece.
O oleiro que o fez Já ninguém o conhece.
O lavrador
Não reconhece a broa de pão.

Como se levantaria, sem o esquecimento
Da noite que apaga os rastros, o homem de manhã?
Como é que o que foi espancado seis vezes
Se ergueria do chão à sétima
Para lavrar o pedregal,
para voar Ao céu perigoso?

A fraqueza da memória dá
Fortaleza aos homens.

Bertold Brecht
Tradução de Paulo Quintela

O ano está ficando velho



O ano está ficando velho. E eu também. Loguinho ele se vai, levando as boas e as más lembranças para não ofuscar aquele que nasce, com novo brilho e novas esperanças. Ele se vai e a qualquer hora me leva também. Mesmo sendo o mesmo brilho e as mesmas esperanças de sempre, elas se fortalecem ao longo dos anos. Sempre, ou até o fim dos tempos, do pequeno infinito que é a minha vida finita. (Ada, 18/12/14)

16/12/14

Frase do dia, fala sobre seguir em frente...

"Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira."

(Cecília Meireles)


Felicidade, felix, fêmea, fecundo


Em Latim, a palavra felix (genitivo felicis) queria dizer – originalmente – “fértil”, “frutuoso” (“que dá frutos”), “fecundo”. Mais tarde, por extensão metafórica de sentido, já que o que é fértil é também propício, favorável, felix tornou-se sinônimo de “afortunado”, “alegre”, “satisfeito”. A raiz de felix é indo-européia: *dhe(i) “amamentar” – que deu também, em L., as palavras filius, “filho”, fecundus, “fecundo” (sinônimo de fértil) e femina, “fêmea” (aquela que amamenta).

Posso dizer então que, com a chuvinha domingueira, abundante de gotas refrescantes, tingindo de cristal as folhas do meu jardim, entre raios de sol acolhedores, miados de gatos e risos de crianças, um cheirinho de café e um som de piano, meu jardim e eu somos pura felicidade!

(Ada 14/12/14)


Piano Sonata No. 11 - Mozart by Mozart on Grooveshark

08/12/14

Bouganvillea ou Primavera

Sob a luz da rua

Primavera
            [bouganvillea],
dorme á luz da rua.
Fosse eu ficava acordada 
fazendo fotossíntese da minha vidinha.
Contava as primaveras que vivi.
Juntava as flores que pari...
Não sei se ia querer ser cor-de-rosa.
Quem sabe roxa fosse mais feliz?
Dizem que o amor é uma flor roxa
E que nasce no coração do trouxa.
Isso foi outrora, onde inquieta vivi
Agora sigo calma
Sou dona do meu nariz.

Sob a luz do sol