“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

05/06/2017

Procura-se Susan



QUEM É SUSAN?

A história trágica da cachorrinha Susan, começa na quarta-feira passada, 31 de maio deste 2017. Dizemos trágica porque imaginamos o pavor que Susan está sentindo, nos seus 4 anos de vida nunca passou por nenhuma dificuldade, só recebeu carinho, amor e proteção. Dorme nas camas de sua mamãe humana Tânia Mauricio Balestra e de seus irmãos, nesta ordem de preferência: Vitor e Giovanni. Depois, não desmerecendo, vem o papai Roberto. Papai Roberto é quem a medica quando doente, o que faz dele seu “malvado preferido”. Ele estava aplicando nela um colírio de antibiótico porque machucou os olhos com um arranhão com as próprias unhas, e o papai Roberto foi quem a levou na Clinica Veterinária da Ponte Grande neste dia em que Susan começa a viver seus piores dias.

Susan é uma Fox Terrier do tamanho e família de um PINCHER a pelagem é branca com malhas pretas, preta também no rabo que é bem curto e na cara. Nas costas dois circulos desenhados. Muito pequena, mas agilíssima! Pernas finas e compridas feito uma gazela a fazem correr com destreza, rápida, ninguém consegue alcançar.

SUSAN PRECISA DE CUIDADOS MÉDICOS

Eram 15 hs de quarta-feira já na clinica, quando foi foi pesada (só 3,5 kg) e aguardava na recepção da Clinica Veterinária da Ponte Grande para passar em consulta. Estava vestida com seu peitoral vermelho infelizmente sem a guia. Estando livre, aproveitou quando a porta se abriu e fugiu. Susan desceu disparado pelas escadas que dão acesso direto à Avenida Guarulhos e atravessou a rua sem noção alguma do perigo que corria, coração a mil com certeza, entrou na agência bancária em frente, saiu, seguiu pela calçada da avenida até desaparecer. Em vão terem corrido atrás dela!

SUSAN NAS REDES SOCIAIS

O desespero se abateu na família! A primeira coisa que se faz hoje em dia é publicar nas redes sociais! Foi o que fizemos! Tania, que é professora, contou com a colaboração de centenas de seus alunos nas duas escolas em que trabalha. Amigos, vizinhos e parentes e até pessoas que se solidarizam começaram a espalhar a notícia do desaparecimento de Susan. Grupos do facebook do bairro, de Protetores de Animais, etc. o que fez a noticia se espalhar. Não sabemos como computar o número de compartilhamentos, dezenas de pessoas enviavam informações de a terem visto, o que ajudou muito a traçarmos uma rota que Susan fez.

O vídeo compartilhado já está com 118 mil visualizações! https://www.facebook.com/100008751905337/videos/1690488431252871/?pnref=story

TRABALHO DE BUSCA COM CÃO FAREJADOR

Fora as Redes Sociais, desde a quarta-feira estamos percorrendo ruas e avenidas do bairro, pregando cartazes e conversando com pessoas, visitando locais onde disseram te-la visto. Estudos dizem que cães chegam a andar 15km adiante do local da fuga.

No desespero de encontrar Susan investimos na contratação do “BuscaPetBrasil que trabalha com cães farejadores. O cão farejador percorreu todo o trajeto desde a Clinica e identificou os locais por onde ela passou, no mato onde pode ter dormido o odor fica muito forte, onde permaneceu mais tempo e até os locais onde passou muito medo e estresse pois o odor registrado era intenso. Neste percurso que levou horas de caminhadas durante a noite de sábado (3/6) acompanhado de Tania a proprietária de Susan, o cão farejador perdeu o rastro quando chegou na Rua João Cavalari altura com a Rua João Batista Fabri https://goo.gl/maps/qdV6xekwjxs Ali é onde o cão farejador indica que se encerra o cheiro da Susan.

SUSAN FOI RESGATADA?

Neste local tem um trailer que vende cachorro-quente onde vários trabalhadores em telemarketing fazem lanches – trabalhadores da ATENTO. Uma enorme coincidência é que na sexta-feira às 15 hs, recebemos um watsapp: Susan foi vista por uma moça que passava de ônibus nesta hora neste local inclusive mencionando o trailer de cachorro-quente, e a reconheceu pelas fotos e vídeo postados no facebook. Essa moça desceu do ônibus, mas quando chegou no local já não a viu mais. Ela avisou Tania pelo watsapp na mesma hora. Corremos para lá! Todas as buscas no local foram feitas sem sucesso. Sumiram os vestígios de Susan!

Ainda percorremos todo o bairro durante o domingo, falamos com pessoas, e nada de Susan! Por esta razão, a conclusão do BuscaPet e a nossa também, é de que Susan foi resgatada nesta sexta-feira, muito provavelmente neste local próximo da Rua João Cavalari altura com a Rua João Batista Fabri https://goo.gl/maps/qdV6xekwjxs onde o odor de Susan termina.

TRAGAM SUSAN DE VOLTA!

Nosso acalento é que Susan tenha sido mesmo resgatada, porque nas ruas seria fatal para uma cachorrinha tão frágil e adoentada! Nosso consolo é pensar que esteja sendo bem tratada, protegida em algum lar, sendo alimentada e recebendo afeto. Porém, ela precisa de tratamento médico! E não só isso! Ela precisa voltar para seu lar! Voltar para sua mamãe que é a pessoa que mais está sofrendo, voltar para seus irmãos, para sua área de conforto que é seu lar! A Familia toda está abalada, triste, fora de foco.

Nosso apelo agora é que se alguém estiver com ela, encarecidamente que a devolvam! Oferecemos boa recompensa em dinheiro, cientes de que o ato de bondade por tê-la salvo da crueldade das ruas não tem preço!

Queremos crer nessas deduções todas a que chegamos, e pedimos sua ajuda na divulgação da história da Susan, pois teremos maiores chances de a termos de volta!

Susan é parte desta família!

Muito obrigada!

Tania Mauricio Balestra e Familia de Susan Balestra.

Guarulhos, 5 de maio de 2017.

CONTATOS:

11 - 9-4005-7636 -- Tania

11 - 9-4786-6636 -- Vitor

11 - 9-4729-1628 – Roberto

FOTOS DE SUSAN BEBÊ



27/05/2017

Guilherme de Almeida: Barcos de papel



Quando a chuva cessava e um vento fino
franzia a tarde tímida e lavada,
eu saía a brincar, pela calçada,
nos meus tempos felizes de menino.
Fazia, de papel, toda uma armada;
e, estendendo meu braço pequenino,
eu soltava os barquinhos, sem destino,
ao longo das sarjetas, na enxurrada…

Fiquei moço, e hoje sei, pensando neles,
que não são barcos de ouro os meus ideais:
são feitos de papel como aqueles,

perfeitamente, exatamente iguais…
— Que os meus barquinhos, lá se foram eles!
Foram-se embora e não voltaram mais!

Guilherme de Almeida

25/05/2017

Mario Quintana: Barcos de papel



Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti esta tristeza
Mas das mudanças do tempo.
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

Mario Quintana. Antologia Poética.