“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

27/04/2010

Conversa com Fernanda

"Digo que a sua angústia em conhecer os humanos é exatamente a minha: entre decepção e admiração, vou trombando com os de minha espécie. Há dias em que conseguimos chorar de tristeza pelo maldito e outros em que conseguimos aplaudir seu belo feito." (Ada, homologado por Fernanda)

Bom dia Fernanda, 

hoje o dia está embaçado, literalmente: lá fora você deve estar vendo um céu desabando opressor sua chuva retida em nuvens cinzas.. Mas eu aqui estou com um nervo pinçado nas costas devido a um alongamento mal feito na aula de yoga, e às horas no computador,..ai como dói! Acho que nem vou ao trabalho, pois preciso ficar imóvel (coisa bem dificil para mim) mesmo aos 55 anos, sou uma agitada procurando sarna para se coçar! 


Adoro cultivar amizades, mas a vida e o sistema de vida, impedem desinteresses. Tudo tem que ter uma vantagem. As pessoas sequer acreditam que você faz o bem sem ganhar nada. Desde menina sempre fui questionadora deste modo de vida e me meti em política. Até hoje milito no PCdoB - partido comunista do brasil - Já serão quase 30 anos! Na época não havia democracia como hoje e me arrisquei bastante. Mas hoje parece até pior, pois com tanto "liberalismo" a confusão de ideias se dissemina, fica dificil dicernir o certo do errado. Continuo, portanto, em crise. Como o mundo: em crise constante. Agora então, a natureza se rebelando, dá mostras de que conseguiremos destrui-lo, enfim!

Amigos reais? Uma vez cheguei a pensar em quantos amigos estariam presentes no me enterro. (risos) Crises à parte, vou seguindo tentando ajudar nas mudanças, na defesa do progresso, do amor, da vida, pelo fim do capitalismo o dono da bola. E olha que a gente se sente bem inútil!

A-do-rei que você tenha querido minha amizade!
Clarice Lispector, minha preferida, fala sobre a solidão como ninguém.
Então, aí vão doses de Clarice para você:

"Que minha solidão me sirva de companhia
que eu tenha a coragem de me enfrentar
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo"


"Tomar conta do mundo exige também muita paciência: tenho que esperar pelo dia em que me apareça uma formiga." (Clarice, em Água Viva)
Beijo de Eliana

Nenhum comentário: