“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

20/07/2010

E na Terra os poetas profetizavam o fim do luar...

Em 20 de julho de 1969, (41 anos) astronautas americanos Neil Armstrong e Buzz Aldrin caminharam na Lua e disseram "a Terra é azul"...


E na Terra os poetas profetizavam o fim do luar...


"Poetas, seresteiros, namorados, correi!
É chegada a hora de escrever e cantar
Talvez as derradeiras noites de luar
Momento histórico, 
simples resultado do desenvolvimento 
da ciência viva
Afirmação do homem normal, 
gradativa sobre o universo natural
Sei lá que mais
Ah, sim! Os místicos também 
profetizando em tudo o fim do mundo
E em tudo o início dos tempos do além
Em cada consciência, em todos os confins
Da nova guerra ouvem-se os clarins
Guerra diferente das tradicionais, 
guerra de astronautas nos espaços siderais
E tudo isso em meio às discussões, 
muitos palpites, mil opiniões
Um fato só já existe que ninguém pode negar, 
7, 6, 5, 4, 3, 2, 1, já!
E lá se foi o homem conquistar os mundos lá se foi
Lá se foi buscando a esperança que aqui já se foi
Nos jornais, manchetes, sensação, 
reportagens, fotos, conclusão:
A lua foi alcançada afinal, muito bem, 
confesso que estou contente também
A mim me resta disso tudo uma tristeza só
Talvez não tenha mais luar 
pra clarear minha canção
O que será do verso sem luar?
O que será do mar, da flor, do violão?
Tenho pensado tanto, mas nem sei
Poetas, seresteiros, namorados, correi
É chegada a hora de escrever e cantar
Talvez as derradeiras noites de luar"
(Gilberto Gil: Lunik 9)

Ouvimos há 40 anos atrás:



Veja aqui as mais belas fotos da Lua feitas pela Apollo 17

2 comentários:

Regina Abrahão disse...

Quando li a chamada, lembrei imediatamente da música de gil, e do tempo em que assisti, assombrada, a tal chegada. Até hoje sou meio pela teoria da conspiração, que tem seus ais com a chegada do homem na lua. Mas a lembrança é ótima!
como sempre, acertaste! um grande beijo!

ACASBLOG disse...

Eu estava na casa de uns árabes, tinha idade jóvem, tinha esperanças. Ontem vi a lua numa poça d´água. Joguei uma pedra na poça: a Lua tremeu e sumiu de vista; tal e qual algumas esperanças....