“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

11/08/2010

Carinho é tão bom!

2 comentários:

Cristina Ramalho disse...

Que fofo!!! E eu que sempre pensei que essa era a comida favorita dos gatinhos...rs

Simples assim... disse...

q lindooooooooooooooooooo!!!!