“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

11/07/2011

Carta de Cris Cervo no meu aniversário


11 de julho de 2011 

Ada 



Celebra a alegria de fazer anos de esperança. 
Conta teus anos não pelo tempo, 
Mas pelo espaço que fazes em teu coração. 
Não pela amargura de uma dor 
Mas pela ressurreição que ela traz. 
Não pelos números de troféus de tuas conquistas 
Mas pelo gosto de aventura de tuas buscas. 
Não pelas vezes que chegaste 
Mas pelas vezes que tiveste coragem de partir. 
Não pelos frutos que colheste, mas pelo terreno 
Que preparaste e as sementes que lançaste. 
Não pela quantidade dos que te amam, 
Mas pela medida de teu coração, 
Capaz de amar a todos. 
Não pelas desilusões que tiveste, 
Mas pela esperança que infundiste. 
Não pelos anos que fazes, 
Mas por aquilo que fazes em teus anos. 
Não pelas vezes que celebraste aniversário, 
Mas pelas vezes que teu aniversário se tornou 
Uma celebração.

(Cris Cervo)

Ada, que os sorrisos façam parte de todos os teus dias, que o teu esforço valha a pena, mesmo quando não for reconhecido, que o teu gesto de afeto se faça, mesmo quando não for merecido. As sementes que você lança ao vento prometem flores perfumadas como a essência de sua alma. Eu a conheço pouco, mas sei de você o suficiente, para que meu coração lhe dê um lugar especial, por isso lhe desejo o que a vida tem de mais bonito, que hoje ao completar mais um ano de vida. Deus lhe dê um presente especial. Receba o meu carinho neste dia e em todos os dias de sua vida. FELICIDADES!  Cris Cervo (São José do Rio Preto)

Nenhum comentário: