“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

07/07/2011

Vicki Myron imortalizou o gato Dewey

Devorei esse livro!

Na orelha vem: "A cidade de Iowa, chamada Spencer, vive o legado da crise agrícola de 1980 que abalou os EUA. "Quando os tempos estão difíceis, ou se juntam as forças ou se desmorona. Isso vale para familias, cidades e pessoas. No final dos anos 80 Spencer mais uma vez juntou suas forças." Foi em 1987 que Dewey apareceu na Biblioteca. E o decorrer disso é que as pessoas frequentavam e saiam mais felizes de lá. Liam mais. As pessoas conversavam a respeito pela rua: " Eu estava lá na Biblioteca". "Dewey estava lá?". "Claro!". "Ele sentou em seu colo?". "Na verdade fui pegar um livro e o deixei cair no meu dedão". "E o que Dwewy fez?. "Ele riu".

A capa do livro
Há tempos fiz uma postagem aqui no Blog sobre o livro mais que gostosinho “Dewey, um gato entre livros”, e que estava naquela leva das 100 postagens excluídas (sem querer por mim) do blog. O livro continua sendo recomendado. Sua dona, a escritora Vicki Myron, vem confirmar que gatos e livros têm uma íntima relação. Parafraseando: “Por trás de um grande escritor, artista e poeta, sempre há um grande gato!”

Vicki Myron nasceu em Spencer e cresceu em uma fazenda em Iowa, numa cidade que não existe mais. Vicki se mudou para Minnesota, onde trabalhou, casou, teve uma filha e foi para a faculdade. Vicki fez bacharel e mestrado. Em 1982, ela foi para Spencer para trabalhar na biblioteca pública. Em 1987, Vicki foi nomeada Diretora da Biblioteca Pública de Spencer e lá ficou por 25 anos e meio. Vicki se aposentou em 2007 e escreveu este livro [a pedido de muita gente] sobre o gato laranja que ficou famoso. Vicki reside ainda em Spencer.

O livro é uma história verdadeira que começa com um gatinho abandonado e que passou a viver uma vida extraordinária dentro de uma biblioteca, inspirando uma mãe solteira, transformando uma biblioteca esquecida e os habitantes de sua cidade que vivia numa quebradeira econômica e que capturou o coração dos amantes de animais ao redor do mundo.

Vicki Myron era uma mãe, separada, que depois de sobreviver à perda da fazenda da família e a um marido abusivo, voltou para a escola e tornou-se uma bibliotecária. Como diretora da Biblioteca Pública de Spencer seu maior desafio foi elevar o espírito dos moradores conclamando-os à leitura, já que a cidade estava profundamente atolada na crise agrícola da década de 1980. E a solução para salvar a cidade veio do mais improvável dos lugares, foi quando Vicki encontrou um pequeno e sujo gatinho, quase morto, congelado devido ao tenebroso inverno e que fora abandonado na caixa suspensa da Biblioteca, aquelas em que se devolve os livros emprestados. Reconhecendo a extraordinária força e singularidade deste gatinho, Vicki recebeu aprovação do conselho da biblioteca para adotá-lo como o gato da biblioteca Spencer. Nela residiu por 19 anos, até morrer. 

Sua fama cresceu, as pessoas viajavam centenas de quilômetros para conhecer Dewey, que acabou sendo o assunto de um documentário no Japão! Por tudo isso, Dewey permaneceu um companheiro leal, um farol de esperança não apenas para Vicki Myron, mas para toda a cidade de Spencer, uma vez que retirou lentamente as pessoas da tristeza na pior crise financeira dos EUA. 

Sabe-se que os gatos é que escolhem seus donos e em quem confiar. Dewey deitava-se no colo das pessoas mais precisadas e distribuía carinho. Ele escolhia as pessoas, e elas viam nele um conforto, uma alegria.

Quando Dewey morreu em 2006, aos 19 anos de idade, seu obituário apareceu em mais de 250 jornais, incluindo o New York Times, e foi anunciado no noticiário nacional de televisão à noite. Ele ganhou uma estátua de bronze.


Dewey imortalizado em bronze 

Na verdade, o Gato Dewey criou a escritora de sua história. Inspirou Vicki nos 19 anos em que viveram entre os livros.

Conheça a Biblioteca de Spencer: http://www.spencerlibrary.com/dewey.shtml

Veja vídeos e muito mais no site:



Um gato sobre livros: Dewey na Biblioteca de Spencer, EUA

Vicki e Dewey
Vicki e Dewey

4 comentários:

Rita disse...

Oi Ada, bom dia!
Ah amiga, eu li esse livro, levei um tempão, porque só lia a noite qdo. me acomodava em minha cama e o sono não vinha de imediato.
Mas tbém acho q lia aos poucos q era pro livro não acabar... rsrsrs.
Linda essa história! Não me lembrava q foi feito uma estátua.
Valeu vir aqui. Bjs.

Anônimo disse...

Realmente um livro maravilhoso, indicado para todos os amantes de gatos, pois só a sensibilidade de quem tem amor pelos felinos, conseguirá entender a história de Dewey e o amor que ele passou a todos os frequentadores da Biblioteca da pequena Spencer. Concordo com Ada Gasparini, atrás de um poeta há sempre um grande gato...Cris Cervo

Elenara Stein Leitão disse...

Pois foi tu que me inspirou ler esse livro e fazer um post no meu blog sobre a biblioteca de Spencer
http://arquitetandoideias.blogspot.com/2008/11/dewey-readmore-books-cats-of-iowa.html
Chorei feito uma doida no final, mas amei cada página. Valeu !
beijos

Elenara Stein Leitão disse...

Pois foi tu quem me inspirou a ler esse livro e a escreve um post sobre a biblioteca de Spencer.
Chorei feito uma doida no final, mas amei cada página que li.
Valeu !