“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

18/09/2011

Tudo faz sentido

Dia e noite. Monumento em Kaunas, Lithuania



O Silêncio das Estrelas
Lenine

(Por Maria João)

Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um deus e amanheço mortal

E assim, repetindo os mesmos erros, dói em mim
Ver que toda essa procura não tem fim
E o que é que eu procuro afinal?

Um sinal, uma porta pro infinito, o irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais, de mais...
Afinal, feito estrelas que brilham em paz, em paz...

Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um deus e amanheço mortal

Um sinal, uma porta pro infinito, o irreal
O que não pode ser dito, afinal
Ser um homem em busca de mais...

4 comentários:

Regina Abrahão disse...

Não conhecia, adorei!

OH! GranDiOso FÁ disse...

É, mesmo: tudo faz sentido! Inclusive o nada, inclusive o tudo!

Cristina Ramalho disse...

Adorei... bjos

Cristina Ramalho disse...

Pois é, para que não percamos a esperança e fé jamais, lancei um novo blog...
http://aminhapazvosdou.blogspot.com/
te espero para uma visita...
bjo,