“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

13/04/2012

Negro Gato, em casa tem um!

Meu gato preto chama-se Victor Hugo, nome que ganhou pensando no currículo de Victor-Marie Hugo (Besançon, 26 de fevereiro de 1802 — Paris, 22 de maio de 1885) um novelista, poeta, dramaturgo, ensaísta, artista, estadista e ativista pelos direitos humanos, um francês de grande atuação política em seu país. É autor de Les Misérables e de Notre-Dame de Paris, entre diversas outras obras.

Isso mesmo, Victor Hugo, foi considerado um menino precoce, ainda jovem é que tornou-se escritor, tendo em 1817, aos 15 anos, sido premiado pela Academia francesa por um de seus poemas.

O meu Victor Hugo miava bem alto, ainda bem jovem, com três meses, seus protestos de fome e medo no meio do mato. Gritava seu poema de gato abandonado. Sempre foi altivo.. e amado.

Nenhum comentário: