“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

07/06/2014

Molhamento


Chove que a terra te suga.
Inunda tudo de líquidos, fluidos
amolece corações e barro ressequidos.
Sangra nas raízes das árvores 

não derrubadas, não derrotadas.
Chove e mata a sede do mundo
deixa o bicho e a flor
úmidos de amor. 


(Ada, 6/6/14) 
#coisasdeada

Nenhum comentário: