“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

07/06/2015

Um pateozinho em flor

"Pateozinho acordou em festa! Flor de Maio acompanhada de dois botões a prometer flores e uma outra escondidinha flor, descoberta por coração alerta e atentos olhos, após a chuvarada num sábado de sol e reflexões...

O pateozinho nos faz recolher palavras, despejar sentimentos e pensamentos. É recompensa dos deuses, consolo no prazer de escrever. Ele se comunica com o Universo,  e as luas todas fazem dele sua morada, das madrugadas ao amanhecer dos dias. Conforto cotidiano, em silêncios, sorrisos e segredos..."

(Jussara Cony  e Zaira Catarelli sobre seu pateozinho em flor)

O pateozinho de Jussara está em conexão com meu quintalzinho pleno de flores avulsas e solitárias que trazem o mundo todo em cada pétala...

São Antúrios, Manacás, Azaleias, Gerânios, Margaridas, Camélias cheirosas, Ibiscus, Flor de Maio, Cravos, Rosas amarelas...


Ada, 6/6/15
























2 comentários:

Jussara Cony disse...

Lindo! Gratidão por essas conexões... flores, poetas, botões, patiozinhos, amor, mulheres, cousas5 da vida, a própria vida...
Sigamos!

Eliana Ada Gasparini disse...

Tão longe dos olhos, mas perto do coração. Beijos.