“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

08/08/2015

Mara Senna: Luas novas e antigas


Eu guardo luas na gaveta do meu quarto crescente; 
luas novas e antigas, 
luas de rir e de chorar; 
luas tão velhas amigas, 
luas de todo o lugar...

(Mara Senna)

2 comentários:

Elane Rebello disse...

Que lindo, amei seu blog Ada. Abraço.

Eliana Ada Gasparini disse...

Grata Elane! Volte sempre!