“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

12/03/2008

Cats, o espetáculo da Broadway


A gata Grisabela canta Memorys, se despedindo do bando. Está velha e vai partir... não preciso dizer que chorei a cântaros neste ato. Ctas é baseado em T.S.Eliot que escreveu os poemas sobre gatos. 


"Memórias"
Composição: Andrew Lloyd Webber
Meia noite, nem um som na calçada
A lua perdeu sua memória?
Ela está sorrindo sozinha
Na luz do lampião
As folhas secas se recolhem aos meus pés
E o vento começa a gemer
Lembranças, sozinha ao luar
Eu posso sorrir como nos velhos tempos
A vida era bonita então
Eu me lembro
naquele tempo que eu sabia o que é felicidade
Deixe a lembrança viver novamente
Cada lâmpada da rua
Parece bater
Um aviso fatalista
Alguém murmura
E um candeeiro da rua se apaga
E logo será de manhã
Luz do dia, devo esperar pelo nascer do sol
Eu tenho que pensar numa nova vida
E não deve se dar
Quando a madrugada vem
Esta noite será uma lembrança também
E um novo dia começará
Queimar os fins dos dias esfumaçados
O cheiro frio da manhã
O lampião da rua morre
É mais outra noite
Outro dia está amanhecendo
Toque-me, é tão fácil deixar-me
Sozinha com a minha memória
Dos meus dias no sol
Se você me tocar
Você vai entender o que é felicidade
Olhe, um novo dia começou..


12/3/2008

Nenhum comentário: