“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

01/04/2009

Arquitetura que resiste: Rua Santa Isabel








Casarão de 1897, na esquina da Rua Santa Isabel com a Rua Bento Freitas 76, 86 e 88, no Arouche - Vila Buarque - SP.

PROCESSO: 25915/88
TOMBAMENTO: Res. SC 25 de 15/12/93
PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO: Poder Executivo, Seção I, 16.12.1993, pg 53
LIVRO DO TOMBO HISTÓRICO: Inscrição nº 310, p. 78, 23/2/1994

No final do século 19, o adensamento da área central da cidade de São Paulo influenciou o surgimento de novos bairros como o dos Campos Elíseos, Higienópolis e Vila Buarque. Neles se instalaram, de modo geral, famílias ricas ou de classe média. A Vila Buarque surgiu de um loteamento implantado, por volta de 1890, na antiga chácara que pertenceu ao marechal José Arouche de Toledo Rendon. Neste bairro, nas junções das Ruas Bento Freitas e Santa Isabel, foi construído, em 1897, o conjunto de três casas de aluguel, uma de esquina e duas geminadas, de conformação neoclássica, implantadas no alinhamento frontal do lote e com porão habitável. São casas de alvenaria de tijolos, com pisos e forros de madeira. As elevações são tratadas com platibandas profusamente ornamentadas com medalhões e balaustradas, e janelas encimadas por frontões triangulares e curvos, únicas partes ainda íntegras dos imóveis.

Fonte Sonia de Deus Rodrigues e Vera Martins

Para ter acesso à Resolução de Tombamento, conforme publicada no Diário Oficial, copie e cole no navegador o endereço abaixo:
http://www.imprensaoficial.com.br/PortalIO/DO/Popup/Pop_DO_Busca1991Resultado.aspx?Trinca=139&CadernoID=ex1&Data=19931216&Name=13967CG0034.PDF&SubDiretorio=0

3 comentários:

Elenara Stein Leitão disse...

resistir com bravura e dignidade, isso é bom. Mostra uma época mais light de nossas cidades, onde os espigões não existiam e a selva urbana era mascarada por uma ar de civilidade.
Belo registro.
Beijos

Ada disse...

Bom dia Elenara, vistes que lindo esse casarão de 1897? Estou registrando alguns que ainda resistem à modernidade...acho lindo ver os pórticos anunciando a data da "concepção" e as carrancas tomando conta das fachadas... são obras de arte, sem dúvidas, coisas de arquitetos. Hoje vemos muito mais as obras de engenharia desafiando o espaço... mas falta um Q de charme e beleza, não achas?
Beijos

Elenara Stein Leitão disse...

Há também obras de Boa Arquitetura em nossas cidades, mas elas são mais raras. Vivemos tempos em que as cidades acabam por ter a mesma cara, e com isso perdem em personalidade e charme.
Beijos