“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

10/10/2009

Herta Muller, nobel de literatura em 2009

Lembrei-me de minha amiga Elenara dizendo que iria comprar "Dewey, um gato entre livros", na Feira do Livro em Porto Alegre, por uma dica minha aqui no blog. Pôxa, mas isso faz um ano, já? Faz! Pois acabei de ler que a Feira acontece agora, neste fim de outubro. A maior e mais charmosa feira do livro e uma das mais antigas do Brasil (sua primeira edição ocorreu em 1955).

Neste embalo de livro aproveito para anunciar uma boa novidade: pela primeira vez o Brasil vai comemorar, na próxima segunda-feira, dia 12 de outubro, o Dia Nacional da Leitura. A lei foi sancionada pelo presidente Lula e marcará também a Semana da Leitura. O mesmo se dará no estado de São Paulo. Então, aí está mais um dia para se pensar em livros e leitura, já que dia 29 comemora-se o Dia Nacional do Livro... que ótimo!

Falei tudo isso para sugerir outra dica para Elenara comprar na feira do livro: a nobel escolhida ontem, "Ao retratar o desamparo de forma poética e com objetividade, a alemã nascida na Romênia Herta Müller tornou-se a nova vencedora do Nobel de literatura " diz o jornalista do estadão. E continua "tem apenas uma obra publicada no Brasil, 'O Compromisso', editada pela Globo em 2004. Herta vive em Berlim desde 1987, quando fugiu devido aos excessos do regime comunista da Romênia, que exigia sua participação no serviço secreto além de impedi-la de publicar seus livros. Ela nasceu na cidade de Nytzkydorf em 1953, em uma família alemã, minoria no país. Como muitos alemães que viviam na Romênia, sua mãe foi deportada para a antiga União Soviética, onde passou cinco anos em um campo de trabalho na Ucrânia", conclui o estadão.

Mas como sou "pés atrás" (se dez tivesse, dez estariam) com a mídia brasileira, preciso investigar se Hertha combate o comunismo ideológicamente, com ranço de direita, pura e simplesmente, ou se protesta contra o regime de Nicolae Ceausescu que parece foi um dos mais duros e exagerados dessa época da experiência da revolução socialista no leste europeu. De lá para cá, cairam muros mas outros foram erguidos mundo afora, então, penso que o socialismo precisa ser aprofundado teoricamente e experimentado na prática em cada país, à sua moda... até porque o capitalismo vai caducar inevitavelmente e precisa ser destruído e aquela experiência precisa ser analisada. 

Numa destas, comprei o último exemplar de "O compromisso" nas americanas.com na mesma hora em que li a notícia da premiação. Devo recebe-lo hoje, pois já está em trânsito segundo o relatório da loja on line. Um bom programa para feriado com frio e chuva.

Livros de Herta Müller legíveis em portugues
No Brasil
O compromisso, com tradução de Lya Luft, pela Editora Globo, em 2004
Em Portugal
São dois: O homem é um grande faisão sobre a terra, com tradução de Maria Antonieta C. Mendonça (Cotovia, 1993); e A terra das ameixas verdes, com tradução de Maria Alexandra A. Lopes (Difel, 1999).
Outros não sei...

Um comentário:

Elenara Stein Leitão disse...

Um ano...é verdade. Adorei tua dica do ano passado que me rendeu uma leitura deliciosa, e vou pensar sobre essa dica de agora. Também fiquei curiosa com essa autora, tão desconhecida para nós. É bom ler outras experiências.
Obrigada pela referência e por se lembrar daquela conversa de um ano atrás
Bjos
Elenara