“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

29/01/2011

Sampa e suas dimensões

Debaixo do viaduto trêmulo de metal e fuligem, um mocó é refeito com o lixo do dia. Hoje, gavetas sem fundo empilhadas e uma porta sem chave de um outrora guarda-roupa fechavam imaginariamente a outra dimensão em que vivem os drogados e mendigos desta cidadesca. Meu pensamento invadiu o mocó com sua habitual incredulidade solidária. Um dia - gostaria - não precisaremos de tantas dimensões assim. Ada (28/10/10)

Nenhum comentário: