“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

30/03/2011

Carta de jenny Scavinsky: Pink Floyd e um cachorro que caiu da mudança


Oi Eliana, passa da meia noite. É muita coisa escrita sobre a família Schavinsky, você vai ter paciência para filtrar tudo, corrigir o meu errado português, se envolver com a história e ainda vai saber muito mais. Presentemente, estou contando a estadia da mamãe e papai em Moscou, e depois no front da guerra, quando acabou, e agora vou contar o sofrimento da volta à Lituânia, depois do fim da guerra. 


Uma boa noite minha querida amiga, mais tarde vou encontrar o passaporte e algumas fotos dos meus parentes. Era para eu perguntar como vão seus problemas, a infecção no dedo já acabou? Hoje ouvi uma expressão dita pelas pessoas há muito tempo: “você está com cara de cachorro que caiu do caminhão de mudança”. Ri muito sozinha. 


Estou ouvindo Pink Floyd, e na gravação gostam de colocar um cachorro latindo ao longe, isso dá uma nostalgia... 


Abraços, Jenny.


Nota minha:


A música do Pink Floyd que Jenny está ouvindo é Dogs. São 17 minutos de puro êxtase!

Nenhum comentário: