“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

23/06/2011

Teatro: Os filhos da Dita

Ana Maria Quintal, colega de ginásio nos anos 70
Ainda é tempo de falar sobre esse grupo de teatro, e sobre essa peça, visto que faz parte de um projeto e que em breve voltará em cartaz. Além do que, é para falar de uma colega de ginásio muito talentosa e valorosa. Dá orgulho saber que estudamos na mesma escola. São poucas as pessoas que se revelam importantes na sociedade, que fazem a diferença, que deixam seu recado.



Ana Maria Quintal, é essa colega que desde muito jovem já tinha visão progressista e avançada politicamente. Escrevia no jornal da escola nos anos 70 e hoje faz teatro com o Grupo Arlequins. A peça se chama "Os filhos da Dita" e faz parte de um projeto que é resultado de discussões, palestras e leituras com o público. Ao longo de cinco anos com a peça "Pra Não dizer que Não falei das Flores", que tive o prazer de assistir, e que o grupo sempre fomentou com estudantes – fazendo espetáculos nas escolas ou convidando grupos de escolas para irem aos teatros tradicionais – notaram o interesse dos jovens por mais dados sobre esse passado tão recente. Um dos canais de discussão e informação com esse público é o blog www.geracaoai5.blogspot.com. O Projeto Geração-AI5 levou 18 meses de trabalho e pesquisa.


Sugiro as leituras sobre a peça em:
http://www.vermelho.org.br
http://geracaoai5.blogspot.com

Vejam que lindas as imagens em cena neste álbum de fotos

Um beijo para Ana Maria.


Sobre a Dita, vejam estes vídeos:
atentado ao Rio Centro em 1981
campanha pela memória e pela verdade

Um comentário:

MarisaQuintal disse...

Olá, Ada...
Muito obrigada pelo carinho que vc tem pela minha querida irmã Ana Maria, por suas palavras tão gentis para o Arlequins e o elogio pelas fotografias.
Beijos