“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

09/07/2011

A Lua neste exato momento 00h08 e outros encantos

Corre na janela! Veja que Lua magnífica equilibrando-se no céu! Tive sorte de nascer em julho, os dias ao redor do meu nascimento têm encantos tipo esse, o lunar. São dias gelados, iluminados, a lua surge sempre majestosamente. Há também as cerejeiras em flor que me enchem os olhos e o coração. Há os Ipês extremamente floridos. A gente solta vapor pela boca quando amanhece. As vidraças embaçadas com nosso calor são páginas prontas para se desenhar corações com a ponta dos dedos. A gente se aninha para esquentar. Faz fogueira que nos remete às cavernas dos antepassados, aos que descobriram o fogo. Gosto de julho. É metade do ano, os planos começam a deslanchar e a próxima estação é a primavera. Há mazelas em julho, eu sei. Pessoas sem casa, animais de rua, sofrem e até morrem. As cidades ficam desertas, sem som algum na madrugada. Mas quando amanhece, as pipas sobem aos céus extremamente azuis, ardentemente azuis, geladamente azuis. Eu nasci, tinha gelo na porta de casa. Tem geada no sul. Tem neve em algum lugar. E me torno feliz por saber-me existindo. Quem me lembra que estou feliz é essa Lua aí. Corre na janela! Nossos olhos se cruzarão na mesma beleza! (Ada 9/7/2011)


A Lua dia 8 de julho de 2011 -  40% iluminada, ou quarto crescente

Nenhum comentário: