“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

16/01/2012

Edu Lobo: Coração Noturno


Coração Noturno


Meu coração bate lento 
Como se fosse um pandeiro 
Marcando meu sentimento 
Retendo meu desespero 
Como notícia do vento
Passando no meu cabelo 

Meu coração bate lento 
Meu coração bate claro
Como se fosse um martelo 
Num rumo sem paralelo 

Selando meu desamparo 
Numa corrente sem elo
Numa aflição sem reparo 
Meu coração bate claro 
Meu coração bate quieto 

Como se fosse um regato
Vagando pelo deserto
Sangrando no meu retrato 

Abrindo meu desacato 
Num ferimento coberto
Meu coração bate tão quieto
Meu coração bate negro 
Como cantiga sem mote 

Como a serpente num bote
Rompendo no meu sossego 
Lambendo feito chicote 
Noturno feito morcego 

Meu coração bate negro
Lambendo feito chicote 
Noturno feito morcego 
Meu coração bate negro 

Lambendo feito chicote
Noturno feito morcego 
Meu coração bate negro

Edu Lobo e Cacaso são os autores de "Coração Noturno", uma das faixas de destaque do disco "Camaleão", lançado por Edu em 1978.

2 comentários:

Joyce Amaral disse...

boa sorte com seu blog.

Ada disse...

Oi Joyce! Valeu pela torcida! Bjs