“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

10/03/2012

Carta de Jenny Scavinsky: Enfim, enviou-me notícias!

Oi querida! eu aqui numa linda casa porém ainda toda desarrumada. Eu e Beto não tivemos tempo ainda nem para piscar o olho. Minha cachorrinha já está se acostumando, o papagaio também. Beto vai mandar fazer uma rampa para eu poder descer para a garagem, lavanderia e edícula. Estou com problema no pulmão, estou fazendo inalação. Eliana, há tanta luz nesta casa, que você nem queira imaginar! Devido ao líquido que tenho na vista direita, preciso usar óculos dentro de casa, é uma maravilha. Já contratamos uma faxineira, é uma senhora idosa, bem esperta, cuida também de passar roupa. Na rua que moramos estão pintando 2 casas, parece um pouco menor que a nossa. Logo queremos que você e sua mãe venham tomar um café com a gente. Eu queria lhe mandar uma saudação no dia da mulher, mas meu computador ainda não estava recebendo ou enviando mensagens, te amo muito. Jenny

Nenhum comentário: