“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

06/05/2012

Meu gato sumiu


"Smurf"
Foto arte, Ada

Smurf tinha alguns amigos que vinham miar-lhe convites pelos telhados vizinhos e então, sem cerimônias, saía a passear na conversa miada deles com aqueles passos leves de pisar em ovos. Tinha um horário quase que marcado para esse convescote. Smurf subia pela escadinha, feita para isso mesmo, e escalava os muros internos do quintal até atingir o mais alto, acesso à liberdade dos telhados do Mundo.

Isso é nada difícil para quem tem habilidade felina, basta ter frestas e brechas onde apoiar as patas e fica simples assim. Os passeios eram curtos, gato castrado tem um território menor a explorar. E depois, basta caçar alguma lagartixa, rolar no pó das telhas, aquecer ao sol, visitar alguma casa e pronto, o passeio de pouco tempo é muito.



Só que um dia, Smurf não voltou. Sua dona aguardou uma noite, um dia, outra noite, outro dia, e chorosa na madrugada, ouvia miados a quilômetros de distância, aquele miado miragem de mãe aflita que distingue o choro de seu filho em pensamentos, porque mãe aflita tem um grande ouvido dentro do coração.

A providência foi bater de porta em porta, vizinho por vizinho, em todos os quarteirões do quadrilátero, com uma foto do siamês de olho azul na mão. Não desprezou nenhuma casa, porque gato se enfia na casa dos outros para xeretar. Basta tratá-lo a pão-de-ló que ele adota a gente, deita em seu sofá e aceita seu cafuné de rabo em pé. Outra providência, foi pregar cartazes com foto e telefone em todos os postes e comércios da redondeza.

Depois de sete dias, já sem esperança alguma, um vizinho sabendo da história que se espalhou, veio à porta dizendo ouvir um miado no fundo de seu quintal. Só que esse quintal tem um muro muitíssimo alto e o salto habilidoso de Smurf, por mais que tentasse, não alcançava. Era um quintal não frequentado por seu morador, cheio de árvores e mato. Um quintal sem saída...

Smurf não conseguia voltar para casa, mesmo que sonhasse com isso. A fome e a sede aumentavam e o medo também, imagino saber o que sente um gato de estimação acostumado a almofada, cafunés e ração. Deve ter comido insetos e outros bichos para sobreviver, porque gatos não podem ficar sem alimento por mais de 48 horas, desenvolvem uma forma potencialmente fatal do mau funcionamento do fígado conhecida como lipidose hepática.

Quintal assim, sempre tem algum por aí. E mais que isso, sempre tem uma cerca elétrica em algum muro, sempre tem um arame farpado, ou cacos de vidro, sempre tem um vizinho que odeia gatos e ama gaiola com passarinhos presos, sempre tem quintal com um cão feroz, sempre tem a crueldade com diversas faces à espreita e sempre tem o “chumbinho”... Sua dona teve que pedir ajuda para resgatá-lo com uma escada e de volta à casa, magro, sujo e triste comeu e dormiu feito um flagelado de guerra.

A providência final nesse episódio foi colocar telas nas saídas para os telhados e encontrar paciência para tolerar seus protestos, mais que miados, contundentes e revoltados, somados aos dos amigos, até que a revolta fosse superada e a liberdade restrita ao quintal protegido fosse aceita.

Lugar de gato é em casa! Porque a cidade reserva muitas armadilhas para eles... e a
final existe um ditado popular que diz: "a curiosidade matou o gato". 


***
Essa história é verdadeira e aconteceu com minha amiga Elaine e seu gatinho Smurf.

10 comentários:

Elaine disse...

Foi assim mesmo que aconteceu. Passei uma semana triste, muito triste e o pior que não foi uma única vez, foram duas. Agora ele está ótimo, só vê os telhados de longe e até arrumei uma irmãzinha para lhe fazer companhia, a Mille.

Anônimo disse...

Assalamu Aleikum!( Qua a Paz esteja com você amiga)!

Pois é, ainda bem que essa história terminou bem embora sabemos que não é sempre assim. Acabei de ler o texto olhando para o JABU dormindo no meio da minha mesa de trabalho e juro que me deu um arrepio na espinha, pois ele acabou de chegar depois de um passeio pelos telhados vizinhos.Eu não posso castra-lo, então o jeito é confiar na providência Divina mesmo.Abração.( Yahia).

Helena disse...

Posso imaginar a aflicao da Elaine. Comigo aconteceu tambem quando a Jim era nova (tinha uns 3 ou 4 anos)ela subiu por uma construcao na vila onde moravamos e foi para o telhado de um predio de 3 andares e miava, miava, se ouvia ao longe mais nao tinha ideia de onde ela poderia estar. Ate que acabei descobrindo dando a volta pela Rua Domingos de Moraes. E, apos conversar com a sindica do tal predinho, subi ate o telhado, um sufoco, ate que, aos prantos consegui resgata-la e, a partir de entao, ela dava suas voltas, mas sempre no territorio seguro da vila, onde era a queridinha dos demais vizinhos tambem. beijocas

Anônimo disse...

Meu nome é Fátima Venzi e estou até agora acordada porque meu gato saiu para passear as 6hrs da manhã como de costume e até agota não voltou! É castrado. Tem dois anos e nunca sumiu!
Ele estava acostumado a passear nos telhados daqui da rua e todos o conhecem.
Ele se chama Mingau porque é branco e tem olhos azuis como o da Magali.
Já envenenaram ele uma vez com chumbinho... Foi um vizinho que não existe mais... porém meu coração esta angustiado!
Não quero postar no face ... o que faço??
Ele não é manso!
Seu apelido é oncinha branca! Ele morte!
Nada amigável! De personalidade forte mesmo!
Por favor se puderem orem para que ele volte ou que eu o encontre!
Obrigada!

Eliana Ada Gasparini disse...

Maria Helena, aconteceu de novo, com a JADE...Quer contar?

Eliana Ada Gasparini disse...

Oi Fatima, faça o que a Elaine fez! Imprime foto dele em folhas de sulfite com seu telefone e cole em todos os postes da redondeza! Coloque no comercio etc... e depois bate de porta em porta! Foi assim que Elaine encontrou o Smurf. Os meus não deixo sair de jeito nenhum! Nos telhados existem muitos perigos!

Anônimo disse...

meu gato é castrado é sumiu faz 5 dias, ele tem três anos e nunca sumiu. Já coloquei fotos na internet, falta fazer cartaz e colar nas ruas, mas estou torcendo muito pra ele voltar, pedir pras pessoas me ajudarem a compartilhar a foto dele nas redes sociais, não sei o que posa ter acontecido com ele, ele tem um irmão, ele de ficar muito tempo longe de casa, normalmente saia e voltava logo, estava sempre comigo, é medroso, não sei o que fazer para o encontrar.

Eliana Ada Gasparini disse...

Nem sei seu nome, onde mora... mas vou torcer para que seu filhote volte! Boa sorte!

Unknown disse...

Ola gente! Meu gato Buiú de 1 ano e 2 meses, nunca havia saído de casa e um dia do nada subiu no telhado e sumiu... Soh percebi q era ele, pois minha cachorra latia muito e qdo fui ver ela estava latindo para o telhado,corri e procurei pela casa toda e nada do Buiú. Foram eternos 7 dias de tristeza, andei pela vizinhança, fiz cartazes com foto dele e informando pagamento com recompensa.
Era muito triste chegar em casa e não ver o Buiú ali miando, fazendo gracinha, ele era muito ativo e brincalhão.
Enfim eu estava no trabalho quando minha companheira me enviou um video, e na imagem estava ele, comendo no seu potinho, e ao fundo ouvia o choro dela narrando a volta dele. E mais uma vez a Nina, minha cachorra teve um papel importante, pois qdo ele apareceu no telhado em plena madrugada, mal conseguia miar de tão fraquinho, foi Nina q latia desesperadamente avisando q o Buiú havia voltado.
Então minha companheira foi ver o q era e lah estava meu gatinho. Ela subiu na escada e trouxe ele pra dentro de casa. Hoje foi a primeira noite dele conosco.. Dormiu ontem a tarde toda e a noite tbm, acordei e coloquei ração e leite, ele comeu, bebeu e voltou pra nossa cama. Sinto q ele está meio quieto, mas tbm está mto mais carinhoso, acho q eh medo de ficar longe da gente. Pra qualquer cômado SA casa q vamos, ele vem atrás roçando em nossas pernas. Semana que vem iremos adotar duas gatinhas, são irmãs estão ainda sendo amamentadas, com certeza irão fazer companhia para o Buiú.

Coisas de Ada disse...

Buiu! Seja bem vindo! A pergunta importante:Buiu esta castrado? Porque agora que ele aprendeu o caminho da rua, poderá sumir novamente! Os perigos das ruas são enormes! Veneno, cachorros bravoas, pessoás más, automoveis, motos e quintais dificeis de fugir... Castre seu gatinho! Coloque telas de proteção nos lugares que ele pode subri! Boa sorte! Que alivio!