“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

29/07/2012

Não sei se resolve

Apaguei seu nome no poema de amor

Não sei se resolve
O passado deixa suas marcas
Lave-o com solução de esquecimento
pinte a óleo suas cidades imaginárias
pelas quais passou e não passou
e as pessoas rondarão feito fantasmas
nos desenhos cheios de janelas 
e portas e frestas, frinchas, fendas
fisgas que passam luz em nesgas
ventos em assobio
sons de berimbau e risos
cada pincelada traz o que viveu
linhas tênues e negras 
cercam todos os tons
aquarele, lave as cores
duas, três demãos,
nas escavações do futuro, 
nos museus que virão
descobrirão que houve a primeira 
demão de tinta,
que a solução do esquecimento
nunca apagará...

(Ada 29/7/2012)

Van Gogh pintou flores campestres que escondiam desenho de dois lutadores
A pintura "Natureza-Morta com Flores Campestres e Rosas", de 1886 cobria 2 lutadores

Nenhum comentário: