“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

02/03/2013

Vou tocando o barco, devagar


Levem meu sonho barcos de papel 
ao ímpeto da chuva e da enxurrada 
Vamos! Coragem! Sigam na jornada 
porquanto o sol, se hoje está revel 


depressa há de voltar e nada, nada 
há de impedir que a luz da cor do mel 
domine o ambiente. Seu bedel 
a lua empalidece envergonhada 


de ver tal enxurrada tão barrenta 
e cheia de impurezas. Representa 
o mundo como está. Prossigam barcos! 


Sigam adiante em seus recursos parcos 
Levem ao mundo os versos que componho 
Criar um mundo lindo, eis o meu sonho.


(Diógenes Pereira de Araújo)


Sobre a foto: Anka Zhuravleva, fotógrafa russa. Nasceu em 4 de dezembro de 1980. Ela passou sua infância lendo livros de arte e desenhando. Em 1997, ela entrou para o Instituto de Moscou Architectural e decidiu seguir os passos de sua mãe, também artista. Sua mãe e seu pai morreram, e Anka mergulhou em um estilo de vida alternativo. Em 2001 se mudou para Saint-Petersburg, passando a morar com seu amado, Alexander Zhuravlev. Viver com ele curou sua alma, e ela recuperou a vontade para a pintura. Ela fez vários trabalhos gráficos e começou a fazer pintura a óleo. Em 2006, Anka percebeu que sua inspiração para os quadros muitas vezes vieram de fotos, então decidiu começar a fotografar. (+ fotos: 
http://www.tumblr.com/tagged/anka%20zhuravleva)

Nenhum comentário: