“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

30/03/2014

Fragmentos

Ela estava na praia! Feliz! Que danada! Eu não sei se acredito nessas coisas de "alma", mas as coincidências me perturbam. Elenice demorou 15 dias para perceber que tinha ido embora daqui... daí, viu que um monte de gente ainda não sabia disso. Mas como avisar? No sábado (14) as conchinhas de minha coleção me "atraíram" e fui bulir com elas, fotografei, escrevi sobre essas lembranças e óbvio... Elenice me veio com força, pois tenho lindas conchas que ela me deu. E foi ao enviar uma mensagem para ela dizendo-lhe da minha saudade, que soube de sua partida... Agora ela repousa nessas conchas. Linda e barulhenta com sua gargalhada, quebrando as ondas do mar!" (Ada, 19/4/2013)

Nenhum comentário: