“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

15/10/2014

Resiliência

Brotam no cimento,
Crescem onde não deveriam crescer.
Resilientes.
Com paciência e vontade exemplar,
Erguem-se com dignidade,
Sem estirpe, selvagens,
Inclassificáveis para a botânica.
Uma estranha beleza,
Cambaleante, absurda.
Enfeitam os cantos mais cinzentos.
Desafiam as impossibilidades.
Elas não têm nada
E nada as detém.
Uma metáfora de vida irrefreável
Que paradoxalmente
Faz-me ver a minha fraqueza.

(Ada, 15/10/14)

(inspirada pelo filme "Medianeira")





Nenhum comentário: