“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

13/01/2018

Quero-quero vem me pegar!


Quero-quero como tem!
Por querer o tempo todo
me faz querer também...
Quero sol, quero chuva!

Tanto faz!
O importante é querer.
Cantando, vive querendo fazer a gente feliz
Canta de dia, canta de noite
Canta pro Sol, canta prá Lua
Tanto faz!
O importante é cantar!
Vive no chão, faz ninho, é tão bonitinho
Com seus cambitos corre da gente,
E corre atrás da gente!
Abre as asas e mostra sua força
Não pise no meu ninho!
Comigo é só carinho!
Faço amor mas por ele faço a guerra.
Quero-quero me faça querer bem.
Com o seu sempre querer,
Me faz querer também...

Ada

#coisasdeada

2 comentários:

Amplexos do jeosaFÁ disse...

Um poema assim
Faz a gente querer
Ser passarim.

Coisas de Ada disse...

Muito bom ser passarim! E assim "Eles" passarão! :)