“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

04/03/2008

Cadela Holly e Felino Nino

Dia 28 de fevereiro de 2008. A cadela de um ano, chamada Holly, adotou o pequeno felino Nino, uma jaguatirica recém-nascida e passou a amamentá-lo com o leite que deveria ir para sua primeira cria, três filhotes nascidos mortos há 15 dias. Não demorou para Holly se aproximar do filhote. Foi amor à primeira vista. Ela substituiu os cãezinhos nascidos mortos. Nina, apelido que mudou para Nino, depois que descobriu-se ser um machinho. Já no primeiro dia, Nino passou a mamar na Holly. Essa oncinha é tudo na vida dela. Agora ela está mais alegre, mais calma e brincalhona. Não é para menos, Holy fecha os olhos enquanto Nino mama em suas tetas e luta para ficar agarrado à barriga da cadela. Vez ou outra, Holly lambe Nino que, depois de mamar, se deita debaixo do pescoço da cadela, que volta a adormecer. O bichinho estava ali, no pé do canavial", contou Arnaldo, o administrador da fazenda. "Fiquei com medo; primeiro olhei se a mãe não estava por perto, depois o peguei e o trouxe para casa. Afinal, se eu o deixasse ali, certamente ele iria morrer". Onde foi
A fazenda onde o filhote foi encontrado fica próxima às matas ciliares do rio Aguapeí e ao parque estadual do mesmo nome, no extremo Noroeste de São Paulo. No canavial da fazenda Aroeira do Salto, no município de Lucélia, 586 km de São Paulo. Criado em 1998, o parque é uma reserva de florestas de transição de Cerrado e Mata Atlântica e possui vegetação semelhante ao do Pantanal mato-grossense, sendo chamado por isso de Pantanal Paulista.

Um comentário:

Katiana Assunção disse...

Coisa MAIS LINDA.. to emocionada.. o que não seria o trauma da vida da pobre cadelinha, se não tivesse aparecido um Anjinho para curar sua dor.. e pra ele, ela também é um Anjo. LINDO.. LINDO!!! Pequenas coisas que mudam nossa cabeça, nos fazem olhar pra vida com mais vontade de VIVER e amar.