“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

15/10/2009

O olho da fome é feio


O olho da fome é feio.
Tem uma súplica que me devora
sem mastigar.
Tenho pena da fome feia.
Na hora do almoço soluça invisível
no estômago do cão
que rasga um saco de lixo,
e no coração da criança
que vende balas na esquina.
Eu queria tomar conta do mundo,
mas não consigo.

(Ada 15/10/2009)

3 comentários:

Elenara Stein Leitão disse...

Dizer o que ??? Que doi ver gente comendo do lixo, ver gente jogada no chão, ver gente passando por outra gente sem ver...

Amiga, não dá para fazer tudo, mas não dá é para desistir. Por isso a indignação é sempre necessária. Podes não conseguir o tudo, mas consegues muito.

Beijos

Ada disse...

Meu olhar anda aguçado demais. Mouquice me faria bem...

Anônimo disse...

horrivel, é muito triste ver alguem morrendo de fome... ñ basta só falarmos, temos que fazer!!