“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

07/01/2010

Palavra de ordem

Alguém só coração deveria estar banido da vida na Terra, há uma lei da natureza que diz o mais forte sobreviverá. Como pode alguém só coração perpetuar sua espécie? Frágil, cheio de lágrimas e palpitações, não cabe neste mundo. Nasce dele sentimentos extintos, ímpares. Esta espécie é lembrada apenas pela forma boba de ser. Abaixo o coração, insistente em sentir!  Ada 7/1/10

Nenhum comentário: