“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

14/09/2010

A diferença entre José e Zé



O José Serra, na campanha eleitoral de 2010 em que se candidata à Presidência da República, aceitou ser intitulado por “Zé”. Seus marqueteiros inventaram um jingle tentando igualar suas intenções e seu nível de vida, às origens de Lula.

Diz o jingle:

"Quando o Lula da Silva sair
é o  que eu quero lá
 Serra eu sei que anda
 é bom eu já conheço
eu já sei quem ele é."

Sim, sabemos bem quem ele é.  E sabemos que anda prá trás. Sabemos a que ideologia a que pertence não é a mesma proletária origem de Lula. No primeiro momento, achei tão ridícula essa metamorfose, que traduzi esse sentimento dele querer ser “Zé”, pelo sentimento de que ele, de fato, é um “Zé Mané”.  Compus até uma marchinha de carnaval!

Sim eu sei quem ele é
É um  Mané!
Sinceramente esse  é falso
E isso eu não quero não!
Se o tal 
 pensa que assim é Lula,
Ledo engano.
Lula é proletário e não um  qualquer.
Pega bem mal o Serra querer ser 
Só pode mesmo é ser um  Mané!

Hoje, passado um mês do lançamento do jingle, e de ele ter ido por água abaixo, refleti sobre o outro lado da moeda dele ter querido ser um "Zé". De como é sugestivo que as forças podem mesmo se inverter, e que a vez dos "Zés" pode estar chegando de fato e de direito. E que o preconceito contra os “Zés” anda perdendo terreno, tanto que um legítimo representante da burguesia se sujeita a ser assim intitulado.

Mas, cadê a ideologia proletária?

O preconceito na sociedade capitalista, contra o pobre, contra o Zé, aparece até no dicionário. Os legítimos Zés, assim o assimilam.

 O que diz o Houaiss sobre “Zé”?

substantivo masculino

Uso: informal.
1    indivíduo comum, do povo
2    Uso: pejorativo.
indivíduo sem importância, que não tem peso social e é destituído de qualquer poder econômico; joão-ninguém
Ex.: ele não passa de um zé qualquer
3    Derivação: por sinédoque.
o conjunto dos pobres, dos indivíduos pertencentes à camada inferior de uma sociedade; plebe, ralé
Ex.: nas épocas de recessão, o zé é sempre o mais castigado
4    Uso: pejorativo.
indivíduo pouco inteligente, ignorante, tolo, de pouco valor; pateta, pacóvio, toleirão

Sendo óbvia a limitação da metamorfose de José em Zé, podemos concluir algumas coisas, entre elas, que a luta de classes é incansável e traiçoeira, que ganha mil caras e máscaras novas. E não nos iludamos que se um cara da elite burguesa, que resolva se auto intitular Zé, mude alguma correlação de forças nos atuais embates da luta de classes a nosso favor.

Há de se convir que o preconceito contra pobres está perdendo terreno e forças, e que a vez dos Zés verdadeiros pode estar chegando de fato e de direito.

Para concluir, ironicamente esta reflexão, deixo as palavras do Houaiss sobre “Mané”:

substantivo masculino

Regionalismo: Brasil e Portugal (reg.). Uso: informal, pejorativo.
1    indivíduo sem capacidade, pouco inteligente; bobo, paspalhão, tolo
2    indivíduo que não se apura no que faz; desleixado, negligente

Nenhum comentário: