“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

23/10/2010

Flor de Outubro: elas me deram alegrias e lembranças



Minhas Flores de Outubro (Rhipsalidopis) resolveram florir! Ficaram "sumidas" por dois anos.Em 2007 comprei-as carregadas de flores, mas ficaram belas adormecidas até este mes.. Elas se abrem totalmente só pelo meio da manhã, e à tardinha elas se fecham em botão.. que florzinha preguiçosa!  


A vermelha, me lembra a TerezaTereza adotou o Átila, um cão querido que resgatei em abril de 2007, e que em outubro foi morar com ela na sua chácara em Atibaia. Quando ela conheceu o Atilinha aqui em minha casa, ela também se deslumbrou com esta em flor... dei-lhe uma muda de presente no dia em que levei Átila em adoção. Lembranças... 


Dois anos depois - em outubro de 2009 -, exatamente na mesma semana que hoje, ela me enviou fotos dela, plantada no jardim de sua chácara:


Flor de Outubro da Tereza. Lembranças da gente...
Então, esta Flor de Outubro quando se abre, é um marco deste acontecimento para nós... Ano passado ela floriu para Tereza. Este ano, para mim. Além de me trazer alegrias, porque flor tão delicada e exótica, me trouxe as recordações. Será que ela abriu também para Tereza? Me trouxe tanta saudade de Átila - um cão que não deixei de amar - e de Tereza, que anda sumida e não mandou noticias este ano! 


Alô Tereza, tudo bem com você amiga? Mande noticias suas e de Atilinha!


Quem é Átila:

Nenhum comentário: