“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

08/10/2010

Urubus serão transferidos de um cativeiro para o outro

Recebi a noticia de que os Urubus cativos na Bienal numa "obra de arte" voltam para o cativeiro original, no Parque dos Falcões, em Sergipe. O troço dos homens demora tanto... mas, cativeiro por cativeiro... 

Enquanto isso o artista conseguiu o que mais queria: ficar famoso. Se não com sua obra incipiente, com a petulância de se aproveitar da natureza. E com uma obra que não quer dizer nada de nada pra ninguém. Um artista que a gente nem conhece a obra de tão hermética e elitista que é. E o pior, apoiado pela Bienal a dignissima representante da arte. Esse aí  é fruto da mesma elite dominante que destrói o planeta com o plástico, com o gado de corte, com o lixo tóxico jogado nos rios e mares...
A campanha Libertem os Urubus, na verdade, não atingiu o objetivo primeiro que é dar a liberdade aos pássaros. Enquanto isso, os Urubus perdem mais um pouco de seu direito à vida, na mesma proporção que ganha fama o tal Nuno... 
Lastimável! 

Nenhum comentário: