“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

15/11/2010

Coisas de amigas


Recebi flores virtuais da Malê, querida e companheira. Junto, veio um recadinho:



“O destino une e separa as pessoas mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas que, por algum motivo, um dia nos fizeram felizes. Chega um momento na vida em que você sabe quem é importante para você, quem nunca foi, quem não é mais e quem o será sempre. Para mim, o primeiro e o último tipo são fáceis de reconhecer. Você está entre eles...”

Daí, segui as instruções que também vieram com o recadinho: Envie estas flores a todas as pessoas que você não quer perder de vista, incluindo a mim, se for o caso. Tente receber uma dúzia. Você verá que não é fácil! Malê


Recebi a segunda:

"Ada, 
Você é o tipo de pessoa que entra na vida da gente para nunca ser esquecida. Devolvo à você as flores (eu já lhe disse uma vez, que suas mãos têm perfume de flores, não disse?) e lhe digo mais: se alguém não te enviar as flores de volta, lembre-se de que você tem seu próprio jardim (dentro do coração) e as borboletas nunca te abandonariam...!" Cris Cervo

Cris, você me faz chorar. Mas é um chorar bom, melancolia é próprio do sentir criativo. Vivo inventando amores em tudo. Tudo ganha vida em mim. Mas é que hoje estou especialmente chorona. Meus bebezinhos gatos que nasceram em minhas mãos, completaram 3 meses e foram embora, cada um para um novo lar, todos hoje, de uma vez. Ficou um vazio enorme! Um oco incapaz de se preencher. A não ser pela ventania que fica gritando na janela. Vai embora vento! Leva minha saudade com você para outros quintais...
Obrigada por sua sempre presença. Ada

Estou aguardando a terceira. E se chegar mesmo a uma dúzia posso me considerar uma boa amiga.

Chegou a terceira!

"Olá Eliana.
Obrigada pelas flores, se depois de 38 anos a gente não se esqueceu...agora não tem mais jeito. Amigo é amigo. Falando em amizade, como vai sua coluna, pescoço e tudo mais? Me mantenha informada. bjs." Elenice


"Bem, não sei se você já recebeu outras flores de volta, sei que enviei, talvez , a terceira e concordo com tudo que foi falado sobre você. Aliás, vida nunca foi seu problema, vc sempre teve em abundância, mesmo nos dias chorosos e, se vc não receber uma dúzia de volta, não sei se isso vai fazer muita diferença, algumas coisas não são quantitativas, são qualitativas. bjs" Elenice 

"Esqueci de escrever no e-mail anterior; algumas pessoas não mandam flores de volta por não saberem se expressar ou por falta de costume mesmo, mas estão sempre de plantão quando se precisa." Elenice




Agora a quarta. Não que a quantidade seja definitiva, como diz Elenice.

"Amiga,
Lembro mais ou menos o que você escreveu para mim no cartão de meu aniversário desse ano: Nosso destino foi se cruzando... E que bom que o destino quis que ficássemos mais próximas. Envio flores para você também, com certeza não quero perdê-la de vista. Beijos." Lan



Quinta e Sexta:
O carinho delas todas muito me faz bem. Lúcia reenviou a quinta. Izilda Rufino, a sexta. Parece que ando carente! E amigos são como colo de mãe!


Nenhum comentário: