“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

26/02/2011

John Lennon da Silva

John Lenon da Silva, 20 anos,
jovem da periferia paulistana,
um artista!
John Lennon da Silva!
Vinte anos!
Coreógrafo de sí mesmo.
Ele faz parte do Projeto Dança Vocacional que em 2010, foi promovido pelo CEU São Rafael, na Zona leste de São Paulo, em São Mateus. O CEU -  Centro Unificado Educacional, foi implantado em Sampa por Marta Suplicy, lembram? 
A oficina de dança propôs "A morte do cisne" na versão "street dance". A criação da coreografia foi do próprio John.
Procurei mais detalhes sobre o projeto vocacional, mas há muito pouca informação. Sobre nossos jovens, só vemos na midia a suas infrações, seus crimes, seus vícios, os abandonados no sub mundo à própria sorte... Mas o que é sucesso, o que é bem feito, a midia sequer mostra. Ao menos dessem estas notícias como exemplo! Deve haver tantas centenas de milhares de artistas no meio da nossa juventude na periferia... mas estamos longe de valorizar nossos talentos!
John Lennon DA SILVA... é de emocionar! Estou impactada!
Esse é meu verdadeiro Brasil brasileiro, escondido e desvalorizado!


Assistam ao vídeo:




Fontes:
* http://catracalivre.folha.uol.com.br/2010/08/1%C2%BA-talentos-da-danca-do-ceu-sao-rafael/
* Há uma página no fecebook de John Lennon da Silva.

3 comentários:

Anônimo disse...

Oi, Ada!!

Já tinha visto esse vídeo. Realmente é emocionante a forma como dança esse menino. Ele representou como nenhum outro dançarino já fez a "morte do cisne". É de uma leveza e sensibilidade impressionante!!

E vc tem ração quanto aos CEUs, uma obra belíssima voltada aos menos favorecidos, que proporciona não só educação, mas possibilidade de desenvolvimento no esporte e nas artes. Sem contar que se formos ver, é gritante a quantidade de gênios em todas as áreas que se originaram de famílias mais humildes.

E tem gente que ainda acha que a "pobrezinha da classe média é que é sacrificada" num governo petista.

E tenho dito!!! rssss

Beijos

Rosemari

Ana Polli disse...

Oi Eliana!
Lindo, emocionante e alimenta a alma...
É algo como: "Eu posso, eu consigo!".
Não precisava estar todo produzido porque a linguagem veio do íntimo, da alma... Lindo mesmo.
Abraços
Ana Lúcia

Anônimo disse...

Olá minha amiga! Você falou tudo. Esse país está cheio de grandes talentos. Só falta oportunidade.
Um grande abraço até outro dia.
José Vamberto