“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

21/03/2011

Obama Go Home em versos de cordel




O Brasil por muito tempo 
Vivera da opressão 
Do tal Estados Unidos 
Que não nos dava um tostão
Agora aparece Obama
Dando uma de bonzão.

A posição do Brasil
Era demais humilhante 
Pois os Estados Unidos
Com um olhar radiante 
Nos emprestava dinheiro
A juros exorbitantes


Mas o Brasil levantou-se
Dividindo sua riqueza
Venceu a crise econômica
Com grandiosa destreza.
Obama vem mendigar 
Um pouco desta proeza


Obama, nós brasileiros 
Sabemos que a ambição 
É a mola propulsora
Que rege vossa nação 
Pelo poder vocês matam 
Sem dó e nem compaixão


Obama opressor do mundo
Que prometeu céu e terra
Para vencer a eleição
Cadê, acabou com a guerra? 
Nada mudou com você 
Desse jeito o mundo emperra


Por isso que o Brasil 
Lhe faz nenhuma homenagem 
Contamos cada minuto 
Que retome sua viagem 
Indo embora do Brasil 
Em busca de outra paragem

http://cordelparaiba.blogspot.com

Nenhum comentário: