“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

27/04/2014

Era uma vez... - Edna Lotufo Martins


[pensando em minha filha]

Era uma vez...

Era uma vez...
Assim começam as histórias
E assim comecei contando de memória
Ou imaginação
Coisas do coração.
Porém as historias exigem um final feliz
A vida mudou, não foi como eu quis.
Era uma vez...
Ninguém precisa saber
Apenas se quiserem adivinhar,
Lendo talvez possam compreender.
Era uma vez...
O final foi só para eu chorar.

Edna Lotufo Martins
In “poemas do amor sem paz”

Editora Três Marias, (1964)

Nenhum comentário: