“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

29/04/2014

Lamento sem música

Play Dead by Björk & David Arnold on Grooveshark

Lamento sem música

Não estou conformada com o encerramento na terra de 
corações apaixonados.
Assim é e será pois sempre foi, em qualquer época
passada.
Vão para a sombra os sábios, os amáveis. Coroados
com lírios e louros; mas eu não estou conformada.

O amante, o pensador, na terra com eles você se
confundiu.
Na bruta e promíscua poeira, como corpo dos outros, o
seu.
Um fragmento do que você soube, do que você sentiu.
Uma fórmula, uma frase ficam; mas o melhor se perdeu.

A resposta arguta, o olhar honesto, o amor, o riso perfeito
- Perdidos. Foram alimentar as rosas. Elegante, ondulado,
se descerra.
O canteiro. Fragrantes, os canteiros. Eu sei. Mas não
aceito.
Mais preciosa era a luz dos seus olhos que todas as rosas da
terra.

Edna St. Vincent Millay
Tradução: Jorge Wanderley.
In: WANDERLEY, Jorge. Antologia da nova poesia norte-americana. Seleção, tradução e notas de Jorge Wanderley. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira, 1992, p.147-148.

Nenhum comentário: