“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

30/04/2014

Poesia sem palavra alguma

Poema sem palavra alguma.
Mas não precisa palavra 
prá alma chorar ou rir,
Você pode apenas ouvir...

(Ada, 30/4/14)



Nenhum comentário: