“Se deixou levar por sua convicção de que os seres humanos não nascem para sempre no dia em que as mães os dão à luz, e sim que a vida os obriga outra vez e muitas vezes a se parirem a si mesmos.” (Gabriel García Márquez, em "O amor nos tempos do cólera")

10/12/2009

Hoje é dia dos direitos humanos, há o que comemorar?

1948 - Dia dos direitos humanos  - A ONU proclama a Declaração Universal dos Direitos do Homem, inclusive o direito à rebelião contra a tirania. Mas também é Dia Internacional dos Direitos Animais. E não há contradição nisso.

"Todos os animais têm o direito à vida e à liberdade, livres da exploração humana. Ao tomarmos suas vidas para servirem aos interesses da nossa espécie, confinando-os e privando-os de todas as suas necessidades, desde as mais básicas, estamos destruindo não somente as suas vidas, mas também a nossa própria possibilidade de sobrevivência nesse planeta".

Leia aqui sobre manifestação em São Paulo, às vésperas do Encontro de Copenhague. Eles divulgam o relatório "A Grande Sombra da Pecuária", feito pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO/ONU), que relata que o gado é responsável por cerca de 18% do aquecimento global, uma contribuição maior que a do setor de transportes, de cerca de 15%.  Mais um motivo para deixarmos de consumir carne.

Porém, a grande responsabilidade sobre a emissão dos gazes destruidores da Terra, os hábitos humanos ou o modo de produção que visa lucrar acima de tudo, deve ser creditada ao capitalismo, gerador desta destruição. Ou acabamos com o capitalismo, ou o capitalismo acabará com a humanidade.

Prova disto, foi o vergonhoso acordo entre os dois ricaços lá em Copenhague: EUA e Dinamarca (a mesma que permite que as Ilhas Faroe em seu território cometam aquela barbaridade aqui denunciada contra os golfinhos) onde eles podem continuar poluindo o mundo e apesar dos discursos (para ingles ver) nada dispostos a salvar o planeta. Apenas para confirmar que só com acordos será muito dificil progredir.

(matança de golfinhos na Dinamarca leia aqui e aqui e debate sobre o aquecimento global aqui)

Um comentário:

Gustavo disse...

É... o capitalismo, essa praga inventada pelo homem, no qual um (ou muitos) perde(m) para outros (poucos) lucrarem. O problema em questão é a própria natureza do ser humano, que sempre quer mais e mais, é a ganância, a compulsão de nunca se contentar com o que já tem. E é isso o que vai acabar com a Terra. No fim das contas, somos um bando de ratinhos de laboratório que, por mais que nosso tratador (Deus) nos alimente, insistimos em nos devorar, até que não haja mais nenhum.

Beijão Ada!